Carácter

Deveria se chamar nove.
Ou pelo menos este é o nono pecado capital.
Falo de carácter. Todos os outros de uma forma ou outra fui escrevendo em textos ilustrados de poesia prosaica em temas que, de forma Humana, me tocaram.
Apenas um tema de fora ficou; a pena de morte; mas ao qual irei em seu tempo.
Agora o carácter. Ou a falta dele.

O carácter é essa característica Humana que nos distingue quando somos chamados à razão da responsabilidade, dando a face pelo risco em assumir.
Assumir e assentir falha, erro ou equívoco. Assumir e assentir ser algo que connosco nasce e ninguém nos ensina a ter.
A sua falta é característica notória desses que não dão a cara ou nas sombras se escondem para evitar dar o peito às balas metafóricas de uma Sociedade cada vez mais cobarde.

O efeito egoísta e sobranceiro do individualismo que vivemos é sinal de destaque no que toca à ausência de carácter. Todos vivem num passa culpas facilitista para se ausentar de responsabilidade.
Já ninguém assina o seu nome ou dá a face quando assim chamado a fazer.
Usam-se os meios alternativos (factos, quem sabe?), advogados como assistentes de confrontação omissa.
O analógico desse pecado digital do afastamento.

Mas não se creia que carácter é só isso.
Tê-lo tampoco. (ponto, e nada mais)

(ou sim)

Assumir-se é coisa passada. Hoje é ser ou não ser. Branco ou negro, sem apreciação de mestiçagem por envolvimento, numa união que nos torna complacentes.
Se não se é Trump é Bannon, se não é Bannon é CNN.
CNN do Bannon actual, senão Fox, de poucas News e muitos boatos e conspirações.
À verdade ninguém aspira, já que carácter ninguém tem.

Tudo Fire & Fury, pátria e traição, fúria que arde sem logica mas razão. 2017 feito ’18 que promete nos entreter.
Uma descrição onanica, acto que não leva a lado nenhum. É isso, não tem carácter.
É um assumir omisso sobre a verdade alheia que muitas vezes é só mentira ou, no máximo, especulação.
É show. Off. Que nem off nos leva.

Comparam a um Mein Kampf. Esse é diferente.
Seria este livro se Trump o tivesse escrito. Uma versão do ‘Art of the Deal’ bem feita.
Sorte a nossa que nem Trump sabe escrever nem ninguém hoje sabe ler.
Pelo menos não com capacidade de entendimento.

Trump taco.gif

Textos sobre política, evidenciado pecadilhos majoritários da menoridade que governa essa pantomima de costumes alternos.
Nós assistimos.
Nós nos benzemos.
Nós, juntos, pecamos na omissão de querer mais.

Carácter é o nono dos sete pecados que nos definem e aquele sobre o qual mais definhamos. Na verdade a Humanidade apesta na sua ausência.
Sobretudo a actual.
Ainda bem que 10 são os Mandamentos.

Nota: Sob as palavras Fire & Fury está disponível na integra o livro homónimo acerca da relação Bannon/Trump escrito por Michael Wolff.

Anúncios

One Comment Add yours

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s