Abel Pinheiro.jpg
Aquando da decisão da criação da moeda única, em Maastricht, o meu querido amigo Victor Cunha Rego pediu-me duas linhas acerca das consequências que teria para os países aderentes a criação de tal novo meio de pagamento.

Ciente de que a História nos dá Lições, escrevi sobre as guerras púnicas, encerradas com a conquista pelo General Romano Cipião da cidade de Cartago.
A primeira consequência foi a imposição de uma única moeda: a da República Romana.

worthless.jpg

A lição que retirei desse histórico acontecimento foi a de que a perda da moeda é a destruição de um instrumento de poder insubstituível. O emissor da moeda que passa a vigorar, regula-lhe os fluxos e as taxas de juros que lhe sejam mais convenientes.
Daí o titulo destas duas linhas: quem não tem moeda própria está sujeito às taxas de juros do emissor.

Para a União Europeia é claro que o emissor tem nome: Alemanha. As conclusões serão tiradas por cada um dos leitores tão logo a inevitável subida dos juros na Alemanha se repercutir nas nossas contas, nomeadamente no custo da pesada dívida pública.

Abel Moura Pinheiro

1 Comment

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.