A Máquina

A Máquina nos condena.
A Máquina nos espolia.
A Máquina tudo nos leva.
A Máquina tudo nos tira e nada nos dá em troca.
A Máquina rouba a paternidade e renuncia a sua existência manual para servir acrílica exigência.
A Máquina sorve a Humana Humanidade que nos resta e a desfaz frente à impossibilidade de diálogo.
A Máquina regozija de alegria com aquilo que penhora, na satisfação da hasta pública que a garante.
A Máquina concentra-se em servir um rosto que dela se diz dono quando dela um dia se verá refém.
A Máquina pulsa de vida pronta a desferir um golpe certeiro.
A Máquina atingiu-nos.
A Máquina acabou de nos matar.

 

MAQUINA

fim.

One Comment Add yours

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s