Andamos numa época de confusos.
Ou na tragicomedia dos que se procuram definir.

Li a grande entrevista de vida de José Miguel Júdice, amigo da Família, pessoa a quem chamo, em intimidade, de tio, na revista do Expresso e fico com esta estranha sensação psicoanalítica do Übermensch de Nietzsche.
A entrevista, conduzida por Clara Ferreira Alves, é o alinhavar confuso sobre essa busca do Pai ideal que não se teve versada no Homem que se quer ser face ao político que, ao existir nas sombras, nunca foi.

É um retrato triste de alguém que parece ter passado pela vida sem que a vida por ele tivesse passado. Pior, a sua indefinição política, criada nessa génese do que havia de ter sido face ao que foi, na transição do 25 de Abril demonstra bem a confusão orgânica do Portugal actual.
Um Portugal que se identificou com Cavaco e nele cuspiu, votou maioritariamente em Sócrates e dele tem amnésia. Que chamou Passos a resolver uma crise e vive aziado com essa memória perante o triunfo fatalista do Dr. Costa.

Por vezes parece que nos vemos Gregos para encontrar a nossa identidade.
Menor graça teria se uma citação houvesse do Primeiro Ministro a dizer que a mudança ocorrida na extremista Grécia do Syriza fosse o ideal a seguir. Há?

Explica muito.
Mais explica o ar embevecido com que se tem olhado para a eleição do novo Primeiro Ministro Inglês através da escrita de Frederico Lourenço.

Escritor, tradutor e professor universitário português, Frederico Lourenço é um dos grandes especialistas de línguas e literaturas clássicas, em particular de grego clássico, que esta semana nos brindou com uma (a)crítica homenagem a Boris Johnson colocando relutante pergunta que se responde: “mas isso de uma licenciatura em Grego e Latim serve para quê?”; “serve para ser primeiro-ministro”.

(Será que perder eleições serve o mesmo princípio? Pedro Sánchez que responda ao Dr. Costa.)

O ilusório elogio que muitos papalvos, viralmente, republicam em sinal do superior intelecto de Johnson – por, alegadamente dominar uma língua morta e o estudo clássico dessa que nos relegou a Democracia – não deixa de esconder a óbvia tragicomedia dos tempos presentes: o latim – por mais fascinante que seja – não passa de anotação de pé-de-página ou citação jurídica para o comum dos letrados, enquanto a Grega Democracia não tem nada que ver com a Democracia que hoje se pratica, muito menos com aquele que se tem assistido na Grécia (alvíssaras a Costa & cia), nem falando no desunido Reino que de unido apenas tem o nome.
Andamos todos perdidos, os políticos pior.

Não, não é por ter uma licenciatura em Estudos Clássicos, ter estudado na Universidade de Oxford, em Balliol College – tradicionalmente o colégio dos inteligentes – que o novo Primeiro Ministro Inglês terá a inteligência para lograr uma saída menos conturbada que aquela que May não conseguiu fazer.
Se assim fosse a Democracia salvaria a Humanidade. Ainda não salvou.
Os Estudos Clássicos também não, e até agora o Übermensch só existe na banda desenhada.

De resto, apesar do triunfal discurso de tomada de posse, Boris esbarrou contra Junker e o Withdrawal segue a melhor opção. Quem saiba a conversa com Merkel traga algo de greco-clássico e democraticamente se termine este ‘cui bono’ que o Brexit se tornou?
Com o perdido que se anda, pode ser a melhor solução a meio de tanta confusão.
Afinal o intelecto que se aproveita pode e deve ser aproveitado quando o Estado de Direito Democrático se reflecte na vontade de uma maioria presente. Mas quando no dia após o referendo do Brexit a maior pesquisa foi justo do que se tratou a saída do Reino Unido da União Europeia, ou aqui em Portugal celebrar maiorias absolutas com abstenções de 70%, acredito não haver sapiência académica que nos resgate…

Afinal para que serve uma licenciatura académica afinal?

Nisso concordo com Frederico Lourenço, ‘pra ser político profissional’.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.