Le Pen’istas

Gosto de ler os comentaristas populistas que bolsam o seu apoio pelo Le Pen’ismo (sim, tem o intento de emprenhar…) estéril de uma Europa separatista onde as fronteiras se dividam e muros sejam construídos.
Pior: campos de isolacionismo (para não utilizar a terminologia germânica) se faça uma verdade material e presente.

Muitos repercutem o mesmo chavão, sobre a cobertura mediática – desse imediatismo estilístico da vitória que a todos deveria agradar mas amargo de boca deixa – “jornalismo pequenino”. Não. Realidade numérica e analítica que deveria ser repercutida à sua infecunda insignificância.

Cansam-me as gerações iletradas em busca dos seus Xanadu’s de ilusão, desse paraíso classista em que a mediana é a satisfação e quem acima deles fica o é por corrupção. Os grandes barões do jornalismo já não existem. E a existirem – tal Charles Foster Kane – são condicionados ao obrigacionalismo ‘facebookiano’ que vivemos actualmente.

A paridade é algo e a razão não se faz por emascular o masculino.

Mai 2017.jpg

Hombridade é palavra desconhecida e honestidade tem o pendor de começar por H, mudo para ficar num esquecimento de uma geração mais interessada em ser radical que ponderada face à realidade de um mundo extremista.
Por isso a causa do DAESH parece perdida e Trump é Presidente.

Bem vindos à nova medievalidade…

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s